Páginas

quarta-feira, 9 de março de 2011

Quarta Carta: Prometo que logo II.

"Não quero mais retornar à casa. Tudo o que vivemos até aqui foi lindo, glorioso, magnânimo. Esse amor que deixa saudades se cumpriu e tornou-se realidade soberana. Esse amor que faz bem se cumpriu. Essa confiança um no outro também se cumpriu. Os toques também saíram da placenta do mundo dos sonhos e tornou-se realidade um no outro. A troca de olhares se fortaleceu e seus olhos me servem de guia. A proximidade aumentou - frase paradoxal. E, os beijos, nossos bons beijos, se tornaram realidade, tornaram-se nosso maior meio de comunicação. E a nossa felicidade está aumentando, pelo menos a minha está; cresce sempre que sinto saudades, cresce quando me sinto bem com você, cresce quando a confiança existe, cresce quando nos tocamos, cresce quando nos olhamos, cresce quando nos aproximamos, cresce quando nos beijamos, e... cresce quando escrevo sobre nós. Está crescendo agora, neste momento. Venha até aqui, me abrace, encoste seu peito ao meu, lace seus braços em mim, toque meus lábios com os seus e veja o quão esse amor cresceu e continua crescendo. Isto porque você alimenta minha felicidade, minha felicidade alimenta meu amor e me esforço ao máximo para que... meu amor alimente você."

Cartas Diretas, obrigado.
Postar um comentário