Páginas

segunda-feira, 21 de março de 2011

Sexta Carta: Envelhecer.

"Prometi e não há nada que me impeça de fazê-lo: envelheceremos juntos, de mãos dadas, com alianças postas nos dedos, sentados naquele gramado, olhando o céu estrelado, tocando os lábios. Amá-la-ei para todo sempre e reconhecê-la-ei em qualquer momento, em qualquer situação. Mesmo que eu emudeça, terei os braços para abraçá-la. Mesmo que me tirem os braços, terei as pernas para correr em sua direção. Mesmo que me tirem as pernas, terei os olhos para vê-la e admirá-la. Mesmo que me tirem os olhos, terei o nariz para sentir seu agradável perfume. Mesmo que me tirem o nariz, terei o coração para amá-la, mesmo não sabendo onde ela está, se está diferente, se mudou o perfume... Tirem-me tudo. Só não me tirem o coração, pois não posso deixar de amá-la, sobre condição alguma. Não posso quebrar minha promessa, sobre hipótese alguma."

Cartas Diretas,
obrigado.
Postar um comentário